Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Perder ...

Segunda-feira, 06.04.09

 

Quando penso neste vocábulo - Perder - revejo inúmeras sensações, quase todas de cariz negativo. A própria palavra já carrega um som árduo, um cheiro amargo que permite sentirmos um rasto profundo de vazio.

Ninguém gosta de perder, pelas mais variadas razões, a principal delas: ficamos vulneráveis à nossa principal condição de impotência. Há coisas que não dominamos, coisas que nos fogem ao controlo, mesmo após uma árdua luta de posse, mesmo como resultado de uma grandiosa capacidade de acreditar.

Quando nos debruçamos sobre esta palavra - Perder - percebemos que já todos a vivemos, uns de forma mais cruel, outros de forma mais súbtil ou menos dura, mas jamais indiferente.

Perder é aquela palavra que pretendemos nunca referir, pretendemos tê-la longe dos nossos projectos, do nosso presente e futuro, principalmente se a vivenciámos num passado.

 

Perder é algo dramático, mesmo que seja a mais insignificante das situações, perder implica consciência, um assumir da nossa fragilidade peranto algo ou alguém, perder simboliza que falhamos, mas se há perdas que se desvanecem pelas cinzas do tempo, outras há que se transformam no nosso "Adamastor".

 

Há quem diga que nunca perdeu e substime todas as perdas dos outros, há quem tenha perdido, mas que julgue por fracos quem sofre ainda por uma perda, há quem não esqueça uma perda e aponte o dedo a quem chore por ter perdido. Talvez sejamos egoístas, ainda, o suficiente para não querermos saber das perdas dos outros, mas insistimos num altruísmo idiota, quando pretendemos sapientemente (julgamos nós) minimizar o sofrimento inflingido de uma perda a alguém.

Saiba que a dor ignorada, aumenta ...

Torna-se voraz....

Transforma-se em veneno...

Transmite raiva ....

Subjuga uma culpa....

 

Na Perda Gestacional, a perda consome qualquer forma de vida que ainda lateje na nossa alma.

Na Perda Gestacional, ignorar a perda de quem a vive é perder a oportunidade de compreender e dignificar quem perde e o que se perdeu.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por projectoartemis às 22:30


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2009

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Espaço de partilha com objectivo de diminuir a falta de informação técnica e emocional a mulheres que vivenciam o luto da perda de um bebé ao longo da gravidez, bem como quebrar o Pacto de Silêncio resultante de todo esse processo de luto na Perda Gestacional.

Direcção APA

projectoartemis Sandra Cunha, Psicóloga desde 2005 da Associação Projecto Artémis, tem vindo a desenvolver o seu trabalho desde essa data na área da Perda Gestacional. Em paralelo, acompanhou Manuela Pontes na Direcção da Artémis como Vice Presidente. Desde Junho de 2011 está como Presidente da Associação Projecto Artémis, procurando quebrar o silêncio, alienado o seu conhecimento técnico com o da realidade da perda de um filho. Perdeu um bebé em 2007, após 2 anos de trabalho como psicóloga da Artémis, o que lhe permitiu reunir à técnica o conhecimento árdua de ter vivido na pele a perda de um filho.

Contacto:
Telefone:938633707
E-mail: projectoartemis@sapo.pt
Site: www.facebook.com/associacaoartemis